Incentivar os filhos a enfrentar desafios que exigem trabalho em equipe e raciocínio lógico é uma iniciativa que contribui bastante para o amadurecimento. Uma maneira de fazer isso, com maestria, é convencer as crianças a se inscrever em uma competição de robótica.

Esse torneio tem conquistado um maior número de participantes nos últimos anos, porque a tecnologia está cada vez mais inserida no dia a dia das crianças. Nos eventos, os competidores desenvolvem um projeto seguindo uma série de requisitos. Os vencedores são os que têm os trabalhos avaliados pela banca de forma mais positiva.

Neste post, destacaremos três campeonatos de robótica que têm chamado a atenção no Brasil e a importância de os pais apoiarem os filhos interessados em aprimorar as habilidades necessárias para construir robôs. Confira!

Conheça 3 torneios difundidos nacionalmente

Se deseja conhecer como funciona uma competição de robótica, fique informado sobre 3 iniciativas destinadas a motivar crianças e jovens a mergulhar no mundo da tecnologia. Acompanhe!

1. Festival Sesi de Robótica

Essa ação engloba três competições que têm cativado os que gostam de tecnologia e inovação.

First Lego League

Uma delas é o Torneio de Robótica First Lego League, cujo foco é buscar soluções para o cotidiano das pessoas. Em 2018, o desafio foi projetar como viajar para outro planeta e viver no espaço. Cada equipe foi composta por grupos de 2 a 10 competidores, com idades que variam de 9 a 16 anos. Os times foram treinados por dois adultos. Independentemente da tarefa apresentada, foi necessário construir robôs que precisavam ser capazes de cumprir várias missões utilizando a tecnologia Lego Mindstorm.

A cada ano é lançado um novo tema. Há competições regionais que classificam os melhores times para o torneio em nível nacional. Em 2019, a equipe Jedi’s, da Escola SESI Luiz Latorre, localizada em Jundiaí (SP), ficou com 1º lugar nacional no First Lego League. As inscrições para a próxima temporada dessa competição de robótica começam em agosto deste ano.

First Tech Challenge (FTC)

Lançado em 2019, o evento reúne estudantes de 12 a 18 anos. Os participantes devem projetar, programar e construir robôs que executem várias tarefas. Para isso, é fundamental conhecer o funcionamento de máquinas e circuitos.

O FTC exige que os jovens trabalhem a comunicação, a habilidade em resolver conflitos, o raciocínio lógico e o foco em tomar decisões. Orientados por técnicos e mentores adultos, os alunos podem colocar em prática fundamentos da engenharia e os conhecimentos na linguagem Java.

Essa competição de robótica tem como meta estimular o interesse dos jovens nas áreas de ciências, engenharia, matemática e tecnologia. A equipe Geartech Canaã, da Escola Sesi Vila Canaã, em Goiás, é a atual campeã do FTC. Em setembro deste ano, serão apresentadas as novas regras para a próxima temporada.

F1 nas Escolas

Essa atividade reuniu estudantes de 14 a 18 anos, no período 15 a 17 de março deste ano, no Rio de Janeiro. Em formato piloto, o torneio integra um projeto internacional que aborda os desafios enfrentados por profissionais de uma equipe de Fórmula 1, como a criação da escuderia e a obrigação de criar e manter um carro rápido e confiável nas pistas.

Os participantes devem criar um modelo de F1 para disputar provas em uma pista em miniatura. Por isso, eles necessitam fazer o projeto, criar o modelo e executar testes com a intenção de desenvolver o protótipo.

Além disso, os competidores precisam de habilidades para elaborar ações de marketing, pensar em captação de patrocínio, criar um plano de negócio, desenvolver estratégias de divulgação nas redes sociais e montar um projeto social, que serve de critério de desempate.

Neste ano, a equipe vencedora se classificou para disputar o mundial desse torneio em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, no mês de novembro. Mais informações (critérios para participar, regras etc.) sobre os três torneios do Festival Sesi de Robótica estão disponíveis no site do evento.

O Gustavo, aluno da Happy Code Moema, é finalista da competição F1 nas Escolas.

2. Torneio Brasil de Robótica (TBR)

É uma competição de robótica que apresenta sete categorias com diferentes faixas etárias. Meninos e meninas, a partir de três anos, já podem mostrar e desenvolver os seus conhecimentos na criação de robôs. A meta é envolver crianças, jovens e adultos para o desenvolvimento de soluções inovadoras.

Além de ter como foco a formação escolar mais consistente, o torneio procura reforçar características fundamentais para o sucesso no mundo corporativo, por exemplo:

  • autoconhecimento;
  • capacidade de iniciativa;
  • cooperação;
  • comunicação;
  • disciplina;
  • empatia;
  • liderança;
  • objetividade na argumentação.

São promovidas etapas regionais em que os participantes enfrentam desafios da robótica. A fase final está prevista para os dias 30 de novembro e 1º de dezembro de 2019, em local a ser definido. Para se cadastrar nesse torneio é necessário acessar o site do TBR.

3. Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR)

Essa competição tem duas modalidades: prática e teórica. A primeira é direcionada aos que não conhecem a robótica. A segunda é dedicada aos estudantes que têm maior afinidade com esse segmento. Podem se inscrever na OBR estudantes de colégios públicos ou privados do ensino fundamental, médio ou técnico de todo o Brasil.

Apenas podem competir alunos até os 19 anos. As regras do torneio permitem a participação dos estudantes nas duas etapas ou em uma delas. Em todo o país, a OBR tem competições de cunho prático e teórico, em que são aplicadas provas.

São promovidas etapas estaduais e regionais. Em cada nível (prático e teórico), são classificadas as 50 melhores equipes para disputar a final nacional, marcada para os dias 22 a 26 de outubro deste ano, em Rio Grande (RS).

Se quiser obter mais dados sobre os processos de inscrição e participação, acesse o site da OBR e conheça melhor o funcionamento dessa competição de robótica.

Entenda por que a robótica é importante

Desenvolver a autonomia, conviver com o raciocínio lógico e aprimorar a capacidade de trabalhar em equipe são alguns dos benefícios que a robótica proporciona aos estudantes. O mundo corporativo exige que os profissionais tenham habilidades técnicas e pessoais para a solução de problemas.

A robótica também é importante para as crianças e os jovens terem mais afinidade com a inovação. É fundamental que as escolas formem cidadãos capazes de visualizar alternativas para resolver demandas sociais e melhorar a qualidade de vida da população.

Participar de uma competição de robótica é uma maneira de os alunos terem maior estímulo para adquirir novos conhecimentos e aumentar a capacidade de superar desafios.

Se você quer o seu filho mais próximo da tecnologia, continue por aqui e leia nosso artigo sobre a idade mínima para aprender robótica. Afinal, o conhecimento é peça-chave para a melhoria contínua.

Que tal incentivar robótica para seu pequeno?





Powered by Rock Convert