fbpx

Hoje em dia, saber utilizar os recursos tecnológicos tornou-se uma necessidade. No entanto, as novas gerações têm um novo desafio: entender a lógica por trás do funcionamento destes. Por isso, é interessante que crianças saibam programar, mas para que essa aprendizagem seja proveitosa, o ideal é serem apresentadas à programação lúdica.

Esta não é diferente das linguagens que envolvem códigos e o écran do computador, no entanto explora recursos mais interactivos. Com programação que ensinem uma programação mais lúdica, mesmo os pequenos ainda não alfabetizados, entre 5 e 6 anos, começam a aprender a lógica da programação.

Para que possa perceber melhor como funciona este processo, elaborámos este artigo, em que explicamos as vantagens de uma criança aprender a programar, o que é o conceito de programação lúdica e como actividades com os robôs educativos podem favorecer a aprendizagem.

Quais são, para as crianças, as vantagens da programação?

Saber programar não é mais uma competência que pertence apenas aos génios da Informática. Esse conhecimento já se popularizou,  em função da grande contribuição que oferece para o desenvolvimento e a aprendizagem das crianças.

Isso acontece porque, quando as crianças têm contato com o universo tecnológico e compreendem de que forma os computadores funcionam, elas melhoram as suas competências. Também recebem estímulos que favorecem a cognição e preparam para o futuro.

A seguir, explicamos mais detalhadamente quais as vantagens que as crianças podem obter ao aprender a programar ― principalmente, quando esta aprendizagem se dá através de técnicas de programação lúdica.

Desenvolvimento cognitivo

As competências cognitivas são aquelas que permitem à criança perceber como o mundo funciona. Descobrem como se dá a interacção entre os elementos, como se influenciam, de que maneira o seu corpo trabalha e como o pode utilizar a seu favor. Desta forma, o desenvolvimento cognitivo envolve o aperfeiçoamento de competências, como:

  • criatividade;
  • concentração;
  • comunicação;
  • raciocínio lógico;
  • coordenação motora.

Quando aprende a programar, a criança começa a perceber que cada acção tem uma reacção. Afinal, de acordo com os comandos que ela fornece ao computador ele vai responder de uma determinada forma.

Além disso, para que seja possível alcançar os objetivos que pretende, ela deve ser criativa, expressar-se de forma clara e usar a lógica. Também vai precisar de encontrar a solução para os problemas que vão aparecer, encontrando novos caminhos e elaborando soluções mais eficazes.

Aperfeiçoamento de competências

Para ensinar programação de forma eficaz, o ideal é que as escolas de tecnologia trabalhem com desafios, projectos e a adopção de metodologias mais modernas, como o modelo STEM, utilizado pela Happy Code.

Deste modo, as crianças têm a vantagem de aperfeiçoar diversas competências, que são necessárias para atingirem os objetivos pretendidos. Assim, são trabalhadas competências como:

Como actua num grupo, a criança desenvolve competências socio-emocionais, pois vai interagir com crianças que pensam de forma diferente. Vai ter de se encaixar no grupo, dar a sua contribuição e ser tolerante com os demais, respeitando cada um.

Preparação para o futuro

Conforme explicamos, mais do que saber como utilizar os equipamentos tecnológicos, as novas gerações devem compreender como eles funcionam e de que maneira se chegou a esse resultado. Assim, vão ter um domínio muito maior da tecnologia porque descobrem a lógica por trás dela.

Já viu que diversas competências são trabalhadas durante a aprendizagem de programação. Todas as que citámos, como criatividade, pensamento crítico, raciocínio lógico e resolução de problemas, são essenciais para enfrentar os desafios do futuro, a realidade do século XXI.

Sendo assim, quando a criança aprende a programar, tem melhor desenvolvimento e formação o que vai contribuir para que possa vir a ocupar um lugar de destaque no mercado de trabalho. Esse domínio da tecnologia ainda favorece a literacia digital. Ou seja, como utilizar os recursos tecnológicos de melhor forma, além do entretenimento.

Além disso, a metodologia STEM, que citámos, trabalha a multidisciplinaridade, permitindo que a criança tenha contato com diferentes campos do saber. Descobre assim novas áreas de conhecimento, inclusive as mais complexas, como Matemática, Física e Engenharia, um diferencial na sua formação.

O que significa ensinar programação de forma lúdica?

É verdade que quando pensamos em programar a primeira imagem que nos vem à mente é alguém sentado em frente ao computador com inúmeros códigos na tela. Realmente, diversas linguagens ainda utilizam essa técnica, porém, quando se trata de crianças trabalhamos com a programação lúdica.

Neste caso, os conceitos são apresentados às crianças de uma forma mais interessante e de acordo com a sua faixa etária. Isso é muito importante porque a aprendizagem infantil dá-se através da descoberta, então são necessários desafios novos e constantes, a fim de cativar os mais novos e manter o seu interesse.

A estratégia da Happy Code é trabalhar com um mix de actividades, para que a criança não se sinta enfadada por uma técnica que é maçadora. Consideremos que se tratam aqui de jovens que, em muitos casos, ainda não são alfabetizados ou se encontram no início desse processo, entre 5, 6 e 7 anos.

Portanto, trabalhamos o raciocínio lógico com a programação lúdica propondo actividades que utilizam o tablet, mas também aquelas “desconectadas”, que envolvem acções manuais, porém, sempre com uma abordagem que envolva conceitos tecnológicos.

Além disso, os desafios propostos, bem como as apps adoptadas, são muito simples e intuitivos, específicos para esta faixa etária. Assim, as crianças iniciam a sua aprendizagem com o básico e avançam gradualmente, sem se sentirem pressionadas, para que o processo seja muito natural e ainda mais proveitoso.

Aprender a programar não precisa − nem deve − ser algo cansativo, em especial quando se trata de crianças. Como esse conhecimento é importante para o desenvolvimento e formação do seu filho, procure uma escola que trabalhe com a programação lúdica, para que ele tenha uma aprendizagem mais agradável e completa, aperfeiçoando diversas competências diferentes.

Saiba mais sobre os cursos e a metodologia da Happy Code. Venha conhecer-nos e veja como podemos contribuir para a formação do seu filho!

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos leccionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de actuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code lecciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projectos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.
Para saberes mais, vê os nossos cursos e segue-nos:

 face   insta   twitter    pint